UFECO

Carregando...
Redes sociais:
RSS
Twitter

Indicar página

O que o CIC- Centro Integrado de Cultura e ÁreaPública da Penitenciária do Estado tem em comum?

O descaso do atual governo  do Estado com o Centro Integrado de Cultura - CIC representa um duplo desrespeito aos florianopolitanos, primeiro com a desconstrução de um espaço central, referência de cultura e lazer,  segundo a descontinuação do espaço cultural como  o teatro, o cinema de arte, de exposições artísitcas e  cursos de formação.

 Além de desvalorizar um espaço local tão caro aos cidadãos, da desconstrução de politicas públicas em relação à cultura catarinense,  assistimos a supervalorização da cultura "estrangeira", a  explicitação de um gosto e valorização e destinação de recursos públicos para dar visibilidade para a cultura dos outros em detrimento  da cultura local, reafirma  um certo  pensamento colonialista  ou europeizante ,  que só o que é de "fora" é bom.

 Da mesma forma   legislou-se  fervorosamente  para dispensar o terreno da área onde se localiza  o Complexo Penitenciário do Estado, localizado na Agronômica, com amplo apoio  da Assembléia Legislativa  e Câmara Municipal de  Florianópolis, ora legalizando  a venda da área pública, ora alterando o zoneamento para tornar palátavel à especulação imobiliária;

Não houve interesse em viabilizar recursos estaduais e federais,  como o Fundo Penitenciário ou o Pronasci, para que  novos complexos penitenciários fossem construidos,  sem ter que abrir mão da  área pública onde se localiza a  Penitenciária Estadual. Por acaso ao lado do CIC

O mesmo descaso que se destaca em relação a um bem público que é o   CIC - Centro integrado de Cultura, o teatro, o cinema de arte, tão caro aos florianopolitanos,  da mesma forma  põe a leilão a Área Pública da Penitenciária, em total desrespeito à  Leitura Comunitária do Plano Diretor , aprovada em  Audiências Públicas nos cinco subdistritos do Distrito Sede ( Bacia do Saco Grande, Bacia do Itacorubi, Centro, Maciço do Morro daCruz e Costeira - Florianópolis), em que os moradores aprovaram a manutenção da Área Pública para destinação à   cultura,  lazer, esporte, creches, oficinas de iniciação ao trabalho , para jovens da periferia , além de espaço para regularização fundiária
 
Angela Maria Liuti
Presidente da UFECO